Anatomia e Fisiologia

Circulação Fetal

Circulação fetal

Antes de mais nada, você precisa lembrar que a circulação fetal se forma na fase embrionária de desenvolvimento fetal, até o final da terceira semana. O sistema cardiovascular, passa a ser o primeiro organismo à alcançar o estado funcional.

A princípio, você precisa saber que a oxigenação da circulação fetal ocorre na placenta, e os pulmões fetais não são funcionais no tocante à transferência de oxigênio e de dióxido de carbono.

Para que o sangue oxigenado proveniente da placenta alcance a circulação sistêmica do feto, ele precisa passar por uma série derivações (shunts). A circulação fetal envolve a circulação sanguínea da placenta para o feto e do feto para a placenta. Um sistema de circulação fetal funcionando corretamente é essencial para o feto.

Antes que esse sistema se desenvolva, nutrientes e oxigênio se difundem da placenta através do celoma extraembrionário e do saco vitelino. – o que discutimos no resumo anterior.

À medida que o embrião cresce, sua necessidade de nutrientes aumenta, e a quantidade de tecido facilmente alcançada pela difusão aumenta, assim a circulação precisa desenvolver-se de modo rápido e acurado.

 Três derivações (shunts) também são encontrados durante a vida fetal:
  1. Ducto venoso: liga a veia umbilical à veia cava inferior;
  2. Canal arterial: conecta o tronco da artéria pulmonar à aorta;
  3. Forame oval: abertura anatômica entre os átrios direito e esquerdo.

Nesse sentido, o sangue com maior teor de oxigênio é fornecido ao coração, à cabeça, ao pescoço e aos membros superiores fetais, e o sangue com baixo teor de oxigênio é desviado para a placenta.

Circulação fetal.
Fonte: Google imagens/Pinterest

Então, o sangue oxigenado é transportado da placenta ao feto por meio da veia umbilical; cerca de metade desse sangue passa pelos capilares hepáticos e o restante flui pelo ducto venoso para a veia cava inferior.

O sangue da veia cava é principalmente desviado do forame oval para o átrio esquerdo > ventrículo esquerdo > aorta ascendente > cabeça e parte superior do corpo. Isso permite que a circulação coronariana fetal e o encéfalo recebam o sangue mais oxigenado.

O sangue desoxigenado da veia cava superior flui para o átrio direito > ventrículo direito > artéria pulmonar. Devido à resistência vascular pulmonar elevado, apenas uma pequena porcentagem (5-10%) do sangue da artéria pulmonar flui para os pulmões; a maior parte é desviada pelo canal arterial pélvico > aorta descendente.

Os pulmões do feto são essencialmente não funcionais, porque estão preenchidos por líquido, tornando-os resistentes ao influxo sanguíneo, eles rebem apenas sangue suficiente para a nutrição adequada. Por fim as duas artérias umbilicais levam o sangue não oxigenado da aorta descente de volta para a placenta.

Referência:
RICCI, Susan Scott. Enfermagem materno-neonatal e saúde da mulher. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.