Anatomia e Fisiologia

Desenvolvimento Fetal

Para falarmos sobre desenvolvimento fetal, precisamos saber que a gestação se inicia após o período de fertilização, e a gestação humana dura em média 280 dias (40 semanas). Contudo, a fertilização do óvulo pelo espermatozoide geralmente, considerando um ciclo menstrual de 28 dias, acontece 14 dias após a data da última menstruação.

FOLHETOS EMBRIONÁRIOS

  • Endoderma: forma o sistema respiratório, fígado, pâncreas e o sistema digestório.
  • Mesoderma: forma o esqueleto, os sistemas urinário, circulatório e genital.
  • Ectoderma: responsável pela formação do sistema nervoso central, os sentidos especiais, pele e seus anexos.
Fonte: Google imagem.

ESTÁGIOS DO DESENVOLVIMENTO FETAL

Os três estágios de desenvolvimento fetal durante a gestação são:

Estágio pré-embrionário: desde a fecundação até a segunda semana gestacional.

A princípio, na primeira semana a medida em que o ovo fecundado passa pela trompa, em direção ao útero, este sofre rápidas divisões mitóticas (clivagem), que forma os blastômeros.

No 3º dia posterior à fertilização, o ovo com 16 ou mais blastômeros é chamado de mórula e penetra na cavidade uterina. No 4º dia forma-se uma cavidade na mórula, que passa a ser denominada de blástula que contém um grupo de células internas – embrioblásto no nó embrionário que dá origem ao embrião. E a blastocele, que juntamente com o embrioblasto são revestidos externamente pelo trofoblasto.

A zona pelúcida se degenera e desaparece no 5º dia.

No dia, o trofoblasto começam a invadir o endométrio, iniciando a sua diferenciação em duas camadas: uma interna – citotrofoblasto/células de langhans, e outra externa – o sinciciotrofoblasto. Assim penetrando no endométrio e invadindo o estroma.

Importante saber que concomitantemente com a implantação (nidação) do blastócito, dessa forma, o embrioblasto inicia a formação do endoderma embrionário (primeiro folheto formado).

Já na segunda semana o trofoblasto passa por rápidas transformações. É formada a circulação uteroplacentária primitiva e a implantação completa do ovo no endométrio. Simultaneamente, o mesoderma extraembrionário se origina, reduzindo o tamanho da cavidade blastocistica que passa a ser denominada de vesícula vitelina primitiva.

Também há a formação do celoma extraembrionário (se converte em cavidade coriônica). E a vesícula vitelina primitiva diminui e origina a vesícula vitelina secundária, que compõe o restante do saco vitelino.

A vesícula amniótica surge entre o trofoblasto polar e o embrioblasto – que se diferencia em disco bilaminar, constituído pelo ectoderma embrionário.

Desenvolvimento fetal
Fonte: Google imagem.

Estágio embrionário: do final da segunda semana até a oitava semana.

Antes de mais nada, você deve saber que as estruturas básicas de todos principais órgãos do corpo e as principais características externas são concluídas durante esse período. Isso inclui os órgãos internos.

Na 3ª semana há a formação do disco embrionário tridérmico (embrião trilaminar). É considerado um período de desenvolvimento rápido. Este, coincide com a época da primeira menstruação frustrada, onde pode ocorrer eventuais perdas pelas hemorragias provenientes do sítio de implantação.

Então, nessa fase ocorre a formação do mesênquima notocorda e do tubo neural derivados do ectoderma. Surge também o celoma intra-embrionário, que formará futuramente as cavidades pericárdica, pleural e peritoneal. Há também origem dos vasos sanguíneos e do sangue, onde o sistema cardiovascular primitivo é formado dois dias mais tarde.

Antes do final da terceira semana as células citotrofoblásticas na parte distal das vilosidades primárias, proliferam e formam uma coluna que atravessa o sinciciotrofoblasto e se fixam ao estroma endometrial (vilosidades ancorantes).

Essas colunas juntam-se umas às outras e compõe o manto citotrofoblástico, apoiando o saco coriônico ao endométrio, aumentando a superfície do cório e favorecendo as trocas embrionário-maternas.

Ao final da terceira semana, a partir das células mesenquimais na área cardiogênica, surgem os tubos cardíacos, que se fundem e originam o coração primitivo, ligando os vasos sanguíneos do embrião aos extraembrionários.

No início da 4ª semana o disco embrionário é convertido em embrião cilíndrico em forma de “C”, circunscrevendo o embrião na vesícula vitelina, parte dela se incorpora a curvatura e origina o intestino primitivo, o restante constituí o saco vitelino.

A conexão do intestino com a vesícula vitelina reduz-se ao pedículo/canal vitelino, constituído pelo pedículo primitivo, vasos sanguíneos e vesícula alantóidea, que revestido pelo âmnio forma o cordão umbilical.

Ao final da 7ª semana quase todos os principais sistemas do organismo estão formados.

Fonte imagem: Manual MSD.

Estágio fetal: do final da oitava semana até o nascimento.

O estágio fetal é o período mais longo do desenvolvimento fetal, nessa fase o embrião está maduro o suficiente para ser chamado de feto. Entretanto, vale salientar que mesmo os principais sistemas já estejam em sua forma básica, ainda há significativo crescimento e refinamento de todos eles e dos órgãos nesse momento.

A partir da 9ª semana o embrião já tem aparência humana, a organogenese já está quase completa e o desenvolvimento fundamentalmente voltado para o crescimento e a maturação dos tecidos e órgãos formados na fase embrionária.

Se liga que nem todos os órgãos e tecidos se desenvolvem com o mesmo ritmo, nem alcançam totalmente determinado graus de maturação.

Um feto a termo possui os aparelhos digestivo, respiratório e urinário praticamente pronto par a vida extrauterina, enquanto os tecidos nervosos e ósseos permanecem imaturos e sua diferenciação prossegue por muito após o nascimento.

Assim finalizamos nosso resumo sobre desenvolvimento fetal, gostou? comenta aqui embaixo!!

Referências:
RICCI, Susan Scott. Enfermagem materno-neonatal e saúde da mulher. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.