Saúde da mulher

Diagnóstico da Gravidez – Os Sinais

Faz um tempo que não tenho postado. Mas, vamos lá! Hoje iremos discutir sobre o Diagnóstico Clínico e Laboratorial da Gravidez.

Antes de tudo, vamos brevemente conceituar o que seria diagnóstico clinico: “são os sinais e sintomas de gravidez, em geral agrupados em sinais e sintomas de presunção, probabilidade e de certeza.

Sinais de Presunção da Gravidez

São os sinais percebidos pela gestante, sendo o mais obvio a amenorreia. Contudo, passa a ser um sinal provável de gravidez quando acompanhado de náuseas matinais, fadiga, aumento da sensibilidade mamária e polaciúria.

A saber, estes não são considerados sinais confiáveis, pois essa sintomatologia pode ser causada por outras condições de saúde.

  • 4 Semanas:

A amenorreia é o sinal mais precoce, em mulheres jovens, com vida sexual ativa que menstruam regularmente. Nesse caso, a ausência da menstruação pressupõe a gravidez.

  • 5 Semanas:

Mas de 50% das mulheres que sofrem náuseas (principalmente matinais), durante o primeio trimestre de gestação. Tendo, como consequência imediata os vômitos e anorexia. Em contrapartida, outras mulheres tem o apetite aumentado.

Não sendo raro, a existência de desejos alimentares ou extravagância alimentar (pica ou malacia) na gestação.

Sobre a congestão mamária,as pacientes relatam que as mamas estão congestionadas e doloridas.

  • 8 Semanas

Então, a partir da 8ª semana, a aureola primária torna-se mais pigmentada e surgem os tubérculos de Montgomery. Ao passo que, em torno de 16 semanas, secreção amarela – colostro – é produzida e pode ser obtida por expressão mamária correta. É comum o aumento da circulação venosa – rede de Haller. Por volta da 20ª semana, surge a aréola secundária, apresentando a maior pigmentação, limites imprecisos em torno do mamilo.

  • 6 Semanas:

Ocorre a Polaciúria, ou seja, a micção frequente, com emissão de quantidade reduzida de urina, habitual no 2º e no 3º mês, quando o útero, aumentado de volume e em anteflexão acentuada, comprime a bexiga.

Já, no 2º trimestre, cessa a sintomatologia que retorna nas duas últimas semanas ao se iniciar a apresentação fetal.

Sinais de Probabilidade

Estes, são sinais que podem ser detectados no exame físico por um profissional de saúde.

A partir da 4ª semana: Teste de gravidez positivo.

Diagnóstico da Gravidez
  • 5 Semanas:

É identificado o Sinal de Goodell, ou seja, o amolecimento do colo do útero e da vagina.

  • 6 Semanas:

A amenorreia após 10-14 dias de atraso menstrual, também, constitui sinal de probabilidade. Há perda sanguínea cíclica semelhante à menstruação, mas sendo escassa, não exclui a gestação, pois pode aparecer nos primeiros meses (hemorragia de implantação ovular).

Sobre o Aumento do volume uterino, o toque combinado reúne as alterações que a gravidez imprime ao útero. Fora da gestação, o órgão é intrapélvico. Quando gravídico, expande-se. Na prenhez de 6 semanas tem o volume de tangerina; com 10 semanas o de uma laranja e posteriormente, com 12 o tamanho da cabeça fetal de termo, sendo palpável logo a cima da sínfise púbica.

  • 8 Semanas:

Há a alteração da consistência uterina, sendo assim, o útero vazio é firme, gravídico, adquire consistência cística, elástico-pastosa, principalmente no istmo (Sinal de Hegar).

Sinal de Chadwick (6 a 8 semanas).

alteração da forma uterina, inicialmente cresce o útero de modo assimétrico, desenvolvendo-se mais acentuadamente na zona de implantação. A sensação tátil é de abaulamento e amolecimento, percebendo-se sulco separando as duas regiões (sinal de Piskacek).

No exame especular, ao entreabrir-se a vulva, encontra-se a coloração violácea (roxo-azulada) da mucosa vaginal e do colo do útero (sinal de Jacquemier ou de Chadwick). A mesma tonalidade da mucosa vaginal constitui o sinal de Kluge.

  • 16 a 28 Semanas:

Nesse período, ocorre o aumento do volume abdominal, o útero torna-se palpável com 12 semanas e o aumento do volume abdominal, progressivo sendo percebido em trono da 16ª semana.

As Contração de Braxton Hicks ocorrem durante as gestações, são indolores, esparsas e esporádicas.

Sinais de Certeza da Gravidez

São sinais que confirmam a existência do embrião ou feto por profissionais de saúde qualificados. Dessa forma, ocorre a visualização do feto na ultrassonografia, a palpação dos movimentos fetais e a ausculta dos batimentos cardíacos fetais.

  • 4 a 6 Semanas:

É possível a verificação ultrassonográfica do embrião ou do feto.

  • 10 a 12 Semanas:

Consegue-se realizar a Auscultação, ou seja, a identificação dos batimentos cardíacos fetais (bcf), o mais fidedigno dos sinais de gravidez pelo sonar-doppler.

  • 14 Semanas:

O Sinal de Puzos é o rechaço fetal intrauterino, que se obtém impulsionando o feto com os dedos dispostos no fundo-de-saco anterior, dessa maneira consegue-se a impressão de rechaço quando o concepto se afasta e outra quando ele retorna.

  • 18 a 20 Semanas:

Por fim, ocorre a percepção e palpação dos movimentos ativo do feto, inicialmente indiscretos, tornam-se vigorosos com o evoluir da gestação.  No decorrer da gestação, é possível a palpação dos segmentos fetais devido ao maior volume do feto, começa-se a palpar a sua cabeça e os membros.

Referência

MONTENEGRO, Carlos Antonio Barbosa; REZENDE FILHO, Jorge de. Rezende, obstetrícia fundamental. 14. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2018.