Cuidados essenciais para cuidar da saúde bucal dos bebês
Saúde da criança

Cuidados essenciais para cuidar da saúde bucal dos bebês

Uma dúvida muito frequente entre os pais é sobre como cuidar da saúde bucal dos bebês adequadamente, pois assim como em outras idades, essa fase exige alguns cuidados específicos e essenciais para a qualidade da mucosa bucal e os dentes, garantindo que eles nasçam e cresçam fortes. 

Cuidar dos dentes de leite de um bebê deve ser uma das prioridades dos pais, mesmo que eles caiam ocasionalmente.

Isso porque doenças bucais podem surgir durante essa fase, assim como em qualquer outra, se não houver os cuidados ideais com os dentes.

Além disso, maus hábitos podem comprometer o nascimento e desenvolvimento dos dentes, inclusive, os dentes de leite podem impactar na qualidade e resistência dos permanentes. 

Conheça também:

Mais ainda, os cuidados inadequados na primeira fase podem impactar na estrutura e posicionamento dental, podendo deixá-los tortos e precisando utilizar o aparelho ortodôntico posteriormente.

Portanto, desde a alimentação até a escovação, os cuidados com a saúde bucal precisam ser tomados e a responsabilidade inicial é dos pais de fazer os procedimentos adequados quando os filhos são bebês e instruí-los quando já estão na criança, o que irá prevenir o surgimento de vários problemas bucais (bem como promoverá a criação desse hábito de forma correta).

Por esse motivo, de modo a contribuir com esse processo e para sanar algumas dúvidas que possam surgir com a chegada dos pequenos, neste artigo apresentaremos alguns detalhes acerca do cuidado com a saúde bucal infantil. 

Como higienizar os primeiros dentes

Quando nascem os primeiros dentes, os pais devem começar a higienizá-los. Para isso, o ideal é que se use uma gaze umedecida ou uma dedeira de silicone.

Após isso, conforme a dentição se torna mais completa, é possível aprimorar o processo de escovação.

Nesse sentido, entre os 2 e 4 anos, o ideal é utilizar uma escova com cerdas macias e com a cabeça pequena, utilizando uma quantidade de creme dental (proporcional a um grão de arroz e, posteriormente, de ervilha) com um nível de flúor acima de 1000 ppm em sua composição para prevenir cáries.

O creme não deve ser usado nos primeiros anos pois a criança ainda está compreendendo o processo de higienização e a coordenação está sendo formada, podendo interferir no momento de bochecho também.

Isso porque o excesso do flúor pode ocasionar a fluorose e isso pode fazer com que os dentes permanentes nasçam com manchas e até apodrecidos.

Já em relação ao uso da escova, muitos produtos indicam em seu rótulo a idade indicada para utilização, por isso é preciso atenção dos pais. 

Além disso, para tornar o momento mais agradável e atrativo para os pequenos, podem ser procurados materiais com personagens infantis, estimulando a higienização.

Dor de nascimento dos dentes

O incômodo quando os dentes começam a romper a gengiva é muito comum na primeira infância, fazendo com que os pequenos fiquem bastante irritadiços, tornando-os mais cansados e aumentando o choro e fluxo salivar.

Para aliviar o incômodo e tornar esse momento menos dolorido e traumático, os pais podem massagear a região bucal, em especial a gengiva, utilizando uma gaze ou dedeira. 

Para o alívio da dor de dente, os pais podem utilizar, por exemplo: 

  • Gaze com chá de camomila gelado;
  • Mordedor (gelado ou não);
  • Gaze com água gelada;
  • Água gelada;
  • Cenoura gelada.

Isso porque o gelo reduz a inflamação e a dor, além de ajudar a aliviar a “coceira” que pode surgir na gengiva.

Manias: uso do dedo e chupeta na boca

Como foi falado anteriormente, algumas práticas podem atrapalhar o desenvolvimento estrutural da dentição. 

Isso acontece com ainda mais frequência quando o bebê tem o hábito de chupar o dedo e de usar chupeta, o que também pode impactar no espaçamento e demais características da cavidade.

O hábito de chupar o dedo, inclusive, pode ser estendido até a fase adulta, se for uma prática desmedida e que não houver o controle, podendo ser levados até em momentos de ansiedade.

Nesses casos, quando já se está com os dentes permanentes, provavelmente o dentista irá receitar o uso de um aparelho fixo, que é o mais comum e, posteriormente, um aparelho movel, para servir de estabilizador. 

Isso de modo a corrigir a mordida que afeta a qualidade da mastigação e até a fala. Contanto, é preciso que a mania também seja identificada e controlada.

Além do problema na estruturação bucal, essas manias (bem como a de roer a unha) podem afetar a saúde do dente e da cavidade, já que pode ocasionar manchas, trincas e também a contaminação por bactérias pode ser favorecida.

Manutenção de hábitos saudáveis e procedimentos odontológicos

Quando os pais incentivam os filhos a cuidarem da saúde bucal de forma correta desde pequenos, eles criam o costume e o levam para a vida toda. Mas, antes dos incentivos, é preciso explicar a importância do hábito e realmente demonstrar o exemplo, praticando os hábitos corretos.

Além disso, é preciso falar sobre o que evitar também, para manter a saúde bucal, como os alimentos que devem ter o consumo mais restrito, como a ingestão dos doces.

Isso porque o açúcar alimenta as bactérias presentes na boca e podem ser viciantes para os pequenos, sendo também prejudiciais ao organismo.

Por conta da ação corrosiva que ocorre quando as bactérias entram em contato com os alimentos, a dentição pode ser prejudicada, ficando fragilizada e podendo ocasionar cáries e até inflamações.

Em casos mais graves, a perda dentária também pode ocorrer, demandando procedimentos como o implante dentário após a estruturação completa dos dentes e o amadurecimento da face.

Cabe mencionar que durante a infância os alimentos açucarados são bastante atrativos para as crianças, demandando atenção e a montagem de um cardápio mais adequado.

Afinal, se forem incentivados ou influenciados a consumirem desde cedo alimentos saudáveis, mais facilmente esses produtos serão aderidos à rotina. 

Além disso, o paladar também está sendo criado/educado nos primeiros anos, determinando o gosto e alimentos que serão mais facilmente consumidos ao longo da vida.

No entanto, para os pequenos que já sofreram com algum tipo de alteração na coloração da arcada dentária por conta dos hábitos alimentares ou mesmo inadequação no momento da escovação, é possível recorrer aos procedimentos de reparação.

A partir dos 16 anos, por exemplo, o pequeno pode realizar o clareamento dental para recuperar a coloração dos dentes que podem estar amarelados ou manchados, sendo um recurso muito eficiente e atrativo.

Já quem teve algum problema mais grave, intervenções cirúrgicas podem ser necessárias também. 

Considerações finais

Os hábitos de higienização bucal são fundamentais para garantir uma boa saúde bucal, portanto, eles devem ser incentivados desde cedo.

Para isso, os pais podem ser exemplo e tornar esse momento uma atividade em família, tendo os cuidados de higienização junto dos filhos para que seja um incentivo ainda maior.

A escovação, bochecho de enxaguante bucal e o uso do fio dental corretamente também devem ser estimulados e feitos diariamente, sendo práticas essenciais do cotidiano.

Com o crescimento, outros procedimentos/acompanhamentos podem ser necessários, principalmente para contribuir com um melhor posicionamento da dentição, inclusive daqueles que tiveram hábitos de usar a chupeta na infância.

Exemplo disso é a necessidade de colocação do aparelho dentario para melhor alinhamento dentário.

Inclusive, nesses casos, a higienização também precisa ser adequada para que a qualidade da saúde bucal seja mantida.

Isso porque os resíduos alimentares podem ficar presos mais facilmente na estrutura, além de agir como uma barreira para a qualidade da escovação. 

Assim, os cuidados devem ser redobrados, principalmente com os pequenos que precisam aderir novas rotinas e os cuidados com a estrutura.

Por fim, assim como os adultos, as crianças precisam ir ao dentista a cada seis meses após o nascimento dos primeiros dentes para avaliação da cavidade, bem como para que os pais sanem suas dúvidas para uma rotina de cuidados mais adequada.

Conforme ocorre o crescimento, os filhos começam a realizar as visitas de rotina para aprender sobre o processo de higienização sozinho e para a realização de procedimentos de prevenção e tratamento, como limpeza do tártaro e aplicação do flúor para fortalecimento da estrutura.

Assim, os pais conseguirão preservar a estrutura e os pequenos crescerão com ainda mais saúde bucal.
Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Qualivida Online, site no qual é possível encontrar diversas informações, dicas e conteúdos ricos sobre os cuidados com a saúde física e mental.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.